segunda-feira, 7 de abril de 2008

Ecce Homo

Ecce Homo, c.1490, col. Museu Nacional de Arte Antiga, Lisboa

Para quem ainda não sabe o que me oferecer, não me importava nada de ter uma réplica* numa daquelas molduras douradas bem largas...

(suspiro)

E já falta tão pouco para o meu aniversário...

*(boa, entenda-se: nada de imprimir em folha A4 tipo rascunho e por numa daquelas molduras com clips)

UPDATE:
este é o tipo de moldura a que me estava a referir.


18 comentários:

  1. Só por causa desse reparo mal jeitoso, não apanhas a réplica de maneira nenhuma.... Sim porque ainda considerei!

    ResponderEliminar
  2. E eu que até já tinha uma moldura linda preparada para algo assim... Vinda directamente dos chineses! Ou isso ou nada!? Escolhe.
    Veneziana.

    ResponderEliminar
  3. Paulo: o que eu queria dizer era que não queria impresso numa folha banal com qualidade de fotografia. Se assim fosse ia parecer, digamos, uma fotografia do quadro. Eu quero isso impresso em papel como deve ser e que pareça minimamente uma pintura.

    Veneziana: Desde que seja uma moldura em madeira de qualidade, com folha de ouro, não me importo nada que venha dos chineses.

    Pedro: se não queres que eu tenha que passar pela vergonha de ter uma reprodução em casa sempre te podes dar ao trabalho de assaltar o Museu… Ah… Esse quadro ia ficar tão lindo perto das “obras” de arte da Ikea. LOL

    ResponderEliminar
  4. Sugestão: Vai à Feira da Ladra. Lá podes encontrar essas relíquias antigas.
    Veneziana.

    ResponderEliminar
  5. Dah! Mas alguém precisava de update?

    ResponderEliminar
  6. Supresa?? É um gato?! :)

    À Feira da Ladra?! Olha, não me admirava nada de encontrar coisas do género... Mas você deve saber melhor que eu! Eh eh eh

    ResponderEliminar
  7. E mais nada? Um espelho veneziano, talvez... :)

    Agora a sério: o David quer um gato? :)

    ResponderEliminar
  8. Também não era má ideia!!

    :)

    Em relação ao gato, sim, andamos a pensar em arranjar um! :)

    ResponderEliminar
  9. Isso tudo deve ser dor de cotovelo, da maravilhosa carteira da Casa das Peles, que alguém ganhou!!!???
    Veneziana.

    ResponderEliminar
  10. Se fosse um porta moedas da LV ainda podia ter inveja, agora uma carteira da casa das peles... E um porta moedas daqueles não chega para metade das coisas básicas que necessito diariamente... Lol Muito menos ser comparado a um Ecce Homo...

    Pffff...

    :)

    ResponderEliminar
  11. "Essa metade das coisas básicas" são o maço de papelada dobrada e desbotada que trazes ao molho dentro de 2 metades russas de algo que se parece com uma carteira da Otília? Nem uma arca Louis Vouiton servia!
    Veneziana.

    ResponderEliminar
  12. Ai ai ai... Eu até podia fazer uma lista das coisas que la tenho... Mas isso só vos ia fazer sentior pior...

    ResponderEliminar
  13. AI!... (enorme suspiro nostálgico)

    Como eu adorava ter aquele gigantesco malão de porão da Vuitton, cheio de gavetinhas, com cabides e tudo! "Para quê?" - ri-se o Vítor. "Para ter...", respondo eu. Nem é coisa que nos dias de hoje se pudesse levar para algum lado. No meu sonho perfeito tenho um closet gigante onde essa mala brilha, algumas gavetas displicentemente entreabertas a revelarem futilidades que podem ser deliciosas. Invitation au voyage.

    A seguir penso nos animais abandonados, nas crianças, nos velhinhos... e recupero o bom senso.

    ResponderEliminar
  14. Teresa, já somos pelo menos 3 (com o Pedro)

    :)

    Um malão... ahhhhhhhh

    ResponderEliminar
  15. Ri-te, ri-te David. Eu passo a explicar, eu chamo malão até aos sacos de desporto, toda a vida. E sapatos de quarto às pantufas, chinelos e afins. E por isso sou gozado desde sempre.

    Ah, até que enfim que tens música boa no blog!!! ;) Entretanto vou ali cortar os pulsos e já venho!

    ResponderEliminar
  16. o ahhhhhh era um suspiro. mas não por um malão desses. Era um ahhhhh por um malão daqueles tipo guarda-roupa ambulante!

    :)

    ResponderEliminar

Seja educado e construtivo. Elogios são sempre bem-vindos :)